A primeira designer inspiradora aqui do blog é uma tipógrafa e letter designer.

Certa vez lendo uma série de entrevistas com designers, li a seu respeito e me apaixonei por seu trabalho instantaneamente. Hische não só trabalha com letras. Ela as transforma em algo quase surreal que compõe peças de significados simples, mas indubitavelmente incríveis. Uma simples olhada em seu site e você será fisgado. Provavelmente não voltará a ler este post tão cedo se clicar no link agora.

A princípio seu trabalho me pareceu maravilhosamente desconexo. Vi cartazes com frases motivacionais, certificados e piadas, capas de livros, propagandas de todos os tipos e até infográficos. Naquela época, eu não achava que alguém poderia ter o direito de trabalhar com tudo isso ou se tal coisa era sequer permitida – pensamentos comuns da minhas ex-cabeça pequena.

Como uma jovem designer na época e tal qual li recentemente nessa entrevista com a própria designer, me peguei quase chateada. Por que eu não poderia ser como Jessica? Sua genialidade me encantava e ao mesmo tempo me deprimia. Ela já se tornara inalcançável e, aos 19 anos, eu já estava atrasada. Mal sabia eu que hoje ela seria novamente uma das minhas grandes fontes de admiração e inspiração não só no meu trabalho, mas no estilo de vida que busco para mim.

Criada na Pensilvânia, por dois “não-criativos” como ela mesma diz, Jessica Hische seguiu a carreira artística desde muito cedo, apoiando-se nos mentores que encontrou pelo caminho e nas oportunidades que jamais deixou passar.

Ficou conhecida pelo seu projeto Daily Drop Cap, onde ela se dedicou a postar todos os dias uma letra do alfabeto e, após finalizá-lo por 12 vezes, começou a convidar também outros designers para que pudessem prestar suas colaborações. Essas capital letters são de livre uso para blogs e sites.

Hoje ela divide sua vida entre Brooklyn e São Francisco, onde possui um estúdio colaborativo de workshops para aprendizes.

Mas Jessica Hische não é somente uma inspiração pessoal pelo trabalho que faz; é pela forma que o faz. Chamando seu trabalho de procrastiworking, a designer mostra que o que gostamos de fazer nas horas livres é realmente aquilo que deveríamos fazer o tempo todo. Um trabalho maravilhoso e inspirador como o dela só pode vir de alguém que se cercou daquilo que mais ama fazer. (:

Conheça mais sobre ela aqui e apaixone-se pelo seu trabalho assim como todos que resolveram dar uma conferida.

Anúncios